domingo, fevereiro 28, 2010

7º Sobreiro Curvo - 2010


People, hoje (28/02/2010) realizou-se a 7ª edição do já mítico Passeio BTT de Sobreiro Curvo. Tendo já participado em algumas edições anteriores, já sabia que esta iria ser um desafio. Não pela dificuldade do trajecto, mas porque as condições climatéricas neste passeio são SEMPRE uma incógnita. E para variar, este ano foi DIFERENTE!

O gráfico de altimetria publicado antecipadamente no site dos Malandros BTT, deixava antever que a gestão do esforço teria de ser bem feita. A minha estratégia era seguir "rolando" até ao km 6 e aí, aproveitar as 3 primeiras subidas e atacar, para conseguir uma distância do pelotão até à subida do km 12 e depois gerir as duas maiores subidas, até ao km 20. Depois seria "só" seguir do km 24 até ao 60. Mas isto ERA a estratégia...

Como "não há bela sem senão", passo a relatar como se passou na realidade. Que é pra que saibam!

Às 7h00, tal como combinado antecipadamente, encontrei-me com o Ricardo Coimbra - temos MESMO de lhe arranjar um nick... - no parque do Fonte Nova, para as respectivas transferências de material, porque tínhamso decidido ir num só veículo. Mas decidimos levar os 2 e aí fomos em procissão, pela A8 até à saída do Vimeiro e depois até Sobreiro Curvo.

Chegámos por volta das 8h (give or take...) e fomos levantar os frontais, as lembranças - de onde destaco a T-shirt da ordem, desta feita com o logótipo que inicia este post e um pastel de feijão, que o nosso Rica despachou ainda antes da partida. Como o dia estava bom (!) com algumas nuvens, a temperatura a rondar os 7ºC decidimos ir tomar o 2º petit e despachar algum lastro adicional, que não precisava (sim, eu!) para a volta que se previa ser de bom tempo! E isso já era um bom presságio.

2 cafés, um palmier recheado e um mil-folhas depois, lá fomos acabar de vestir o equipamento.

Às 8h55 estávamos na linha de partida, no meio das hostes, à espera que alguém dissesse para que lado era a partida. Ainda tive tempo para ir deixar o meu impermeável ao secretariado e assim preparava-me para o meu primeiro Sobreiro Curvo, sem impermeável!!!

A partida foi dada por volta das 9h15, quando já se gritava "Arranca!" com direito às habituais quedas e empurrões no início destas coisas, mas eu e o Rica fomos nas calmas, na conversa durante cerca de 2 kms.

Por esta altura, a lama - fina, maioritariamente argilosa - já tinha aparecido e começava a fazer das suas. O piso começava a ser fustigado debaixo das rodas dos cerca de 1000 participantes (não confirmado) e o Rica diz " se isto aqui está assim, daqui a pouco vai estar tudo lavrado" e este foi o trigger que me levou a começar a pedalar. Estávamos no km 3 (no meu Cateye) e quando cheguei ao km 7 já estava no grupo da frente.

Rolei durante uma boa parte deste kms na talega, cruzando algumas vezes a corrente no limite. Mas tinha conseguido chegar onde o terreno estava menos massacrado. Tudo em vão! A lama completou o piso dos pneus, os espaços entre os elos da corrente e os carretos (da frente e de trás). Resultado: não conseguia meter ou tirar mudanças e a cada pedalada que dava, a pedaleira completava uma meia-volta "em falso" acompanhada de um som que não agurava nada de bom para a saúde do material...

Ao km 12, num cruzamento com a estrada de alcatrão decidi voltar para trás por achar que não tinha condições para continuar.

Ao todo fiz cerca de 15 km's em 47 minutos; 215 m de subidas acumuladas a uma velocidade média que rondou os 16 km/h. Ia bastante bem lançado, mas faço minhas as palavras de um companheiro de pedal, que juntamente com outros 15 a 20 companheiros também decidiram voltar para trás, " há muitos dias para andar de bicicleta, isto não acaba hoje!" e foi.

Enquanto estava escrever este post, o Rica ligou-me a dizer que tinha terminado a sua prova. Segundo ele, completou os 24 km's em cerca de 3h. Estava contente com a sua prestação e da sua borrega que "sobe tudo"; mas ele fará o seu relato. Fica aqui a foto da Stumpjumper após a dita - uma imagem vale mil palavras...


Para mim ficam sentimentos mistos; por um lado fiquei feliz por me estar a sentir bem fisicamente, mas por outro esperava ter aqui o primeiro treino de BTT de 2010, com mais gente nos trilhos, um percurso novo, diferente. Não foi possível, acima de tudo porque tenho algum pudor em "fazer voltas" para estragar material e esta estava para isso. Que o digam a rapaziada que passei com drop-outs partidos, correntes, entre outros. Para isso não contem comigo! Não gosto de desistir e isso deixa-me triste...

Abraço a todos, um muito especial para o Ricardo que conseguiu completar este passeio de forma exemplar.

Hugo "Vuck Roger"

Etiquetas: ,

3 Comments:

At 13:10, Anonymous Anónimo said...

Soube ontem ao final do dia pelo teu primo que tinhas ido fazer o Sobreiro Curvo (pena não nos termos cruzado por lá).

Eu também fui um dos que andou a comer lama, mas como estreante até me arrisco a dizer que gostei da dureza da prova e no final de 5h15 a pedalar até tive direito a tomar banho de mangueira junto com a minha burra :)

Boas pedaladas,

Ricardo

 
At 15:17, Blogger Luis said...

Man,
"Há muitos dias para andar de burra!"
Fizeste bem em dar meia volta e regressar com material inteiro.
Para este passeio do Sobreiro Curvo, como se costuma dizer "Já dei para este peditório!".
A organização não tem culpa das intemperides que costumam aconteçer no dia deste passeio, mas acontecem sempre!!!
Um abraço

 
At 10:39, Blogger EL MOUREX said...

Tambem eu!!!
O Sobreiro Curvo tem de ser feito pelo menos uma vez; a garantia de muita chuva, lama, poças, atascanços, material inutilizado e de vez em quando neve (!), tem de ser comprovado por todos os bikers nacionais. Mas para ser castigado, prefiro numa manhã de Domingo a chover torrencialmente lá fora, dar uma ou duas e depois tomar o pequeno almoço na cama!!!!!!!!!
Parabens Ricardo; és uma GRANDA VACA VELHA! Abraços, Mourex

 

Enviar um comentário

<< Home

Frankie Goes to Hollywood - Welcome To The Pleasure Dome

É Sempre a curtir...